diabetes-tipo-1

Conheça a partir de agora, as principais informações sobre a Diabetes do Tipo 1. São informações para quem tem a doença e quer se tratar corretamente. 

O diabetes do tipo 1, também conhecido como diabetes insulinodependente, acontece quando produz pouca ou nenhuma insulina, tornando assim impossível, a entrada do açúcar nas células para produzir a energia.  

São vários os fatores que contribuem para que a diabetes do tipo 1 aconteça, dentre eles alguns vírus e até os fatores genéticos. 

Geralmente na infância e na adolescência é mais comum este tipo da doença, mas não se descarta a possibilidade de seu surgimento em qualquer idade. Segundo pesquisas realizadas, o diabetes do tipo 1 é uma doença para a qual não existe uma cura comprovada, e sim tratamentos para o controle dos níveis de açúcar no sangue. Os controles são feitos com o uso de insulina, através de mudanças no estilo de vida e novos hábitos alimentares que ajudarão a evitar problemas maiores, consequentes da doença. 

Quais são os sintomas do Diabetes do Tipo 1 

sintomas-diabetes-tipo-1

Os sintomas do diabetes 1 podem aparecer a qualquer momento, contudo como é mais comum que aconteça em crianças e adolescentes, vai o alerta também aos pais. Podem ser sinais do diabetes 1: 

  • Visão turva; 
  • Fraqueza; 
  • Muita sede; 
  • Vontade de urinar frequentemente; 
  • Incontinência urinária (crianças que já não estão habituadas a molhar a cama e de repente começam a perder o controle disso); 
  • Fome excessiva; 

Ao perceber alguns destes sinais, ou notar que seu filho está com algum deles, é recomendável que você consulte um médico imediatamente e certifique se do que está acontecendo. 

Causas 

Ainda se desconhece a causa exata do diabetes do tipo 1, mas é possível que o fator genético tenha grande influência, assim como a exposição a vírus e também fatores ambientais.  

Um outro fator que é também considerado como uma possível causa do diabetes do tipo 1 é o próprio sistema de defesa do organismo. 

Fatores de Risco 

Embora desconhecidas as causas exatas para o diabetes do tipo 1, existem fatores que são considerados de risco e não devem ser ignorados: 

insulina
  • Casos antecedentes na família – Pessoas que têm parentes (avós, pai, mãe e irmãos) com a doença, têm chances maiores de desenvolver a doença, do que pessoas que não têm casos próximos; 
  • Idade – O Diabetes tipo 1 pode acontecer a qualquer momento da vida, tendo maior possibilidade na infância e na adolescência. Crianças entre 4 e 7 anos enfrentam o momento crítico e mais propício. O segundo período é entre os 10 e 14 anos. 
  • Localização geográfica – Segundo algumas pesquisas sobre o diabetes tipo 1, a localização geográfica tem influência na possibilidade de uma pessoa desenvolver a doença. Elas afirmam que quanto maior for a distância em que se encontra do equador, maiores são as chances de ter a doença. 

Complicações  

O diabetes do tipo 1 com o passar do tempo pode causar uma série de transtornos e comprometer a saúde de muitos órgãos importantes de nosso corpo. Dentre os órgãos comprometidos estão os rins, o coração, os olhos, os vasos sanguíneos e o sistema nervoso.  

Com as complicações da doença, o paciente pode ter a sua vida em risco e por esta razão é tão importante fazer o controle para manter normalizado o nível de açúcar no sangue

As complicações mais sérias podem ser: 

complicações-do-diabetes
  • Nefropatia – Problemas renais. Os rins são responsáveis por filtrar os resíduos do sangue. O diabetes 1 danifica este processo de filtragem, o que complica seriamente e põe em risco a vida do paciente. Danos graves aos rins podem causar a insuficiência renal, tendo paciente, que passar por diálise e ainda mais sério, o transplante renal.  
  • Neuropatia – A Neuropatia é um tipo de lesão que acontece nos nervos. No caso de diabetes do tipo 1, o açúcar danifica as paredes dos vasos que alimentam nervos principalmente das pernas e dos pés. Isto explica a sensação de formigamento, dormência e queimação normalmente acompanhados de dor e que começam nas pontas dos dedos e espalham pelas mãos e pés gradativamente. Manter o controle do açúcar ajudará a evitar a perda da sensibilidade nas partes afetadas. É importante lembrar que os problemas nos nervos também podem afetar o sistema gastrointestinal, o que pode ocasionar mal-estares como vômitos, náuseas e diarreia. Em homens pode ocorrer problemas com a ereção. 
  • Doenças cardíacas e circulatórias – O diabetes do tipo 1 coloca em risco a saúde da artéria coronária, o que pode causar ao paciente uma forte dor no peito (angina). Ainda se tratando das artérias, a aterosclerose é também uma complicação causada pelo diabetes, ela acontece quando ocorre o estreitamento das artérias. Pode ainda, este mesmo paciente passar por problemas como AVC (Acidente Vascular Cerebral), ataques cardíacos e hipertensão. 
  • Problemas na visão – Por danificar os pequenos vasos sanguíneos da retina, o diabetes do tipo 1 pode causar cegueira e diversos outros problemas que englobam os olhos como cataratas e glaucoma. Assim podemos afirmar que o diabetes do tipo 1 pode causar a perda total da visão. 
  • Infecções nos membros inferiore– Os pés são os alvos principais das consequências do diabetes 1, que diminui a circulação, diminuindo o fluxo sanguíneo deles. Por isto são tão comuns os casos de amputação de membros inferiores que se iniciam pelos dedos e pode afetar toda a perna.  
  • Distúrbios na boca e na pele – A diabetes torna mais fácil, a entrada de fungos e bactérias na pele e na boca, o que facilita problemas como gengivite e problemas de pele. 

Tratamento 

diabetes-tipo-1-tratamentos

O tratamento para o diabetes do tipo 1 consiste no controle da doença. O mesmo é feito a partir de: 

  • Aplicação de insulina; 
  • Controle da ingestão de gorduras, carboidratos e proteínas (dieta balanceada) 
  • Manter o controle do açúcar no sangue; 
  • Ingestão de alimentos leves e pobres em açúcares; 
  • Manter o hábito de atividades físicas regulares. 
atividades-físicas-para-diabéticos

Para fazer o tratamento, alguns valores devem ser considerados para manter o controle dos níveis de açúcar no sangue. Antes das refeições, o nível de açúcar deve permanecer entre 80 e 130 mg / dL, enquanto após as refeições, 180mg / dL duas horas após se alimentar.