diabetes-mellitus

 

O Diabetes Mellitus é um distúrbio glicêmico, onde os níveis do açúcar são extremamente elevados no sangue quando o organismo não consegue produzir insulina suficiente para atender as necessidades do corpo. 

O diagnóstico da doença é feito através de medições dos níveis glicêmicos. Ela danifica os nervos, causando problemas com a sensibilidade. Além disto, pode comprometer a sua saúde e até colocar em risco a sua vida. Ela pode levar o paciente à sérios problemas cardíacos, AVC, ataques cardíacos e comprometimento da visão. 

Alguns sinais da diabetes Mellitus são: A perda rápida de peso sem uma causa específica, muita fome, muita sede e vontade de urinar constantemente. 

Em resumo, manter uma dieta saudável e uma rotina de atividades físicas regulares é uma boa maneira de controlar o diabetes, porque estará controlando alguns dos principais motivos porque ela surge: O colesterol alto, o excesso de peso e o metabolismo lento. É recomendável que uma pessoa saudável e principalmente pessoas com pré-diabetes mantenham uma dieta pobre em gorduras saturadas, carboidratos e alimentos processados. 

Sintomas da Diabetes Millitus e fatores de risco 

Sob condições normais, o nosso organismo utiliza a insulina produzida pelo pâncreas para transferir a glicose até as células e produzir energia, porém por diversos motivos, em algum momento, pode as células não utilizar adequadamente o hormônio produzido. É importante contudo, conhecer alguns fatores de risco:  

causas-de-diabetes-mellitus
  • Obesidade; 
  • Pressão alta; 
  • Sedentarismo; 
  • Colesterol alto; 
  • Síndrome metabólica. 

Quando o pâncreas não produz insulina ou o organismo não a utiliza conforme deveria, não é preciso muito tempo para que alguns sintomas sejam percebidos, por exemplo: 

  • Perda de peso sem causa explicável; 
  • Sensação de cansaço; 
  • Fadiga; 
  • Em homens disfunção erétil; 
  • Em mulheres, ciclo irregular; 
  • Vistas embaçadas; 
  • Demora na cicatrização de feridas; 
  • Fome repentina a qualquer hora do dia; 
  • Vontade de urinar frequente; 
  • Dormência e formigamento nos pés ou nas mãos. 

Insulina 

tratamento-diabetes-mellitus

A insulina é um hormônio que se encarga de armazenar a glicose no fígado, tecido adiposo e nos músculos. A glicose para entrar nas células necessita da insulina que o pâncreas produz quando consumimos carboidratos. Para que todo o processo aconteça normalmente o pâncreas precisa produzir insulina suficiente e a o organismo precisa utilizar o hormônio de maneira correta. 

Além da insulina, o pâncreas produz o hormônio glucagon, que ao contrário da insulina, é produzido quando estamos em jejum. A função do glucagon é usar a glicose reservada quando for necessário. 

Glicose no Sangue 

A maioria dos alimentos são compostos por gorduras, carboidratos e proteínas. O carboidrato pode ser representado pelo açúcar, pelo amido e pelas fibras também.  

controle-do-valor-glicemico

Existem vários tipos de açúcares que variam entre os mais simples e os mais complexos. Quando falamos de açúcar o primeiro que vem à nossa cabeça é aquele que usamos para adoçar nossos cafezinhos, mas ele é apenas um dos tipos que consumimos normalmente. Neste tipo se reúnem os tipos mais simples aos quais denominamos frutose e glicose.  

Porém existem os açúcares que consumimos através dos alimentos, como por exemplo, a lactose (o açúcar do leite). Também em alimentos como o pão, massas e arroz encontramos moléculas simples de açúcares simples. A sacarose, a lactose e os carboidratos precisam ser transformados em açúcar simples antes de serem absorvidos pelo organismo. 

Todo o açúcar absorvido pelo organismo é convertido em glicose que é transportada para a corrente sanguínea e gera energia para todo o corpo.  

Complicações da Diabetes Mellitus 

A diabetes mellitus quer dizer diabetes de um modo geral e pode se apresentar em tipos diferentes, sendo diabetes do tipo 1 e diabetes do tipo 2. Em ambos os tipos da doença, tratamos de elevados níveis de açúcar no sangue, com a probabilidade alta de complicações ao longo da vida. Complicações estas que podem aparecer logo após o diagnóstico ou com o passar dos anos com o agravamento da doença. Em ambos os tipos da doença deve ser feito um controle rigoroso dos níveis de glicose. 

Dentre as complicações mais sérias da diabetes está a aterosclerose que pode levar a ataques cardíacos e AVC, o que põe em risco a vida do paciente. A aterosclerose é bastante comum em diabéticos ainda jovens e o estreitamento que ela provoca nos vasos sanguíneos tende a danificar a visão, o funcionamento dos rins e causar problemas nervosos e cerebrais.  

Outras complicações: 

complicações
  • Problemas de pele – Devido a má circulação, a cicatrização de feridas se torna mais lenta que o normal e uma característica diabética é a aparição de lesões e tratar infecções, principalmente nos membros inferiores. Pode por exemplo uma simples feridinha perdurar por anos e nunca cicatrizar. 
  • Infecções bacterianas, fúngicas são frequentes em diabéticos; 
  • Problemas na visão – A cirurgia pode evitar a perda da visão porque ela sela os vasos sanguíneos dos olhos, evitando também que a retina seja danificada e o paciente fique cego. O ideal é que pessoas diabéticas faça pelo menos uma vez ao ano, o exame de vistas. 
  • Problemas renais – A doença renal crônica pode acontecer quando você é diabético, o que é um motivo a mais para cuidar logo no início, o problema. Normalmente o paciente recebe a indicação de medicamentos que retardam a progressão das lesões. 

Como monitorar e prevenir  

Após o diagnóstico da diabetes mellitus, o paciente deve cuidar de seguir corretamente o tratamento indicado e fazer o controle anualmente com a finalidade de evitar complicações da doença. Pessoas com pré-diabetes ou diabetes do tipo 2 devem monitor também.  Os exames preventivos são: 

controle-do-diabetes
  • Exames de sangue para analisar os níveis de colesterol e açúcar no sangue.  
  • Exames de urina para verificar as condições renais; 
  • Exames oftalmológicos; 
  • Testes de sensibilidade dos pés, para verificar a circulação. 
  • Também são avaliadas feridas, úlceras e até a perda de cabelo. 

Contudo, a melhor maneira de prevenir é através do controle rigoroso dos níveis de glicose que pode ser feito através de dietas, estilo de vida saudável e também de medicamentos.