diabetes-gestacional

Pelo menos uma, entre cada dez gravidas desenvolve o diabetes durante a gravidez. Para sua informação, reunimos aqui, dicas importantes sobre diabetes gestacional. Saiba como diagnosticar, a dieta ideal para mantê-la sob controle e como evitar possíveis complicações. 

O que é diabetes gestacional? 

O diabetes gestacional é um tipo da doença que pode ser diagnosticada geralmente da semana 24 à semana 28 e acontece em pelo menos 10% das mulheres. 

No corpo humano, a presença do feto é responsável por um gasto maior de energia, portanto é necessário que o organismo consiga suprir adequadamente os níveis de glicose, fazendo a utilização de forma satisfatória. O organismo se reestrutura de forma que nos dois primeiros trimestres da gravidez, quando não há crescimento considerável da placenta nem do feto, o corpo se prepara metabolicamente para manter uma reserva de energia para manter o crescimento normal do feto.  

A partir do terceiro trimestre o desenvolvimento do feto é mais rápido, gastando com mais rapidez as reservas de glicose, que geram energia para a mãe. Nesta fase, apenas o feto é responsável por consumir 50% da glicose da mãe. Para que tudo siga normalmente, é preciso que o corpo tenha níveis satisfatórios de resistência à insulina, tendo disponíveis para o feto, quantidades maiores. 

Com todo o processo da gravidez, é muito comum que ocorra o diabetes gestacional, que acontece em maior parte dos casos com origem não autoimune. Poucos são os casos de diabetes pré-gestacional, que neste caso seria feito um tratamento para o controle da doença antes de tentar engravidar e claro seguir mantendo o controle durante toda a gestação. 

Fatores de Risco 

como-controlar-o-diabetes-gestacional

Como sugere o próprio nome, o diabetes gestacional é o diabetes que acontece durante a gravidez e que pode ser ainda mais propício de acontecer devido à alguns fatores de risco relacionados à saúde da mulher e suas condições físicas, por exemplo: 

  • Histórico familiar de diabetes de qualquer dos tipos, principalmente gestacional; 
  • Excesso de peso; 
  • Gravidez acima depois dos 30 anos de idade; 
  • Mulheres com histórico de aborto espontâneo ou com registro de morte do feto na hora do parto; 
  • Excesso de líquido amniótico; 
  • Gravidez múltipla; 
  • Hipertensão; 
  • Primeiro filho nascer acima de 4 quilos. 
  • Entre outros… 

Sintomas  

Os sintomas do diabetes gestacional podem ser bastante incômodos aumentando ainda mais os desconfortos que já são comuns durante a gravidez. O diabetes, contudo, é uma doença um pouco silenciosa, o que faz com que a sua presença seja detectada tarde em muitos dos casos.  

Exames de sangue podem identificar os níveis excessivos de açúcar no sangue, mas há sintomas que o paciente deve observar e manter-se de alerta. São eles: 

  • Visão turva; 
  • Sede excessiva; 
  • Vontade de urinar muitas vezes ao dia; 
  • Perda de peso sem motivação aparente; 
  • Náuseas e vômitos; 
  • Candidíase; 
  • Infecção urinária 

Além dos sintomas desenvolvidos durante a gestação, a mãe pode após o nascimento do bebê, desenvolver o diabetes mellitus. A doença também põe em risco a gestação já que pode causar problemas como a implantação incorreta do embrião, aumentando as chances de que ocorra um aborto espontâneo. 

Ainda, o diabetes pode comprometer o desenvolvimento da gestação atrasando o desenvolvimento do feto, possibilitando a má formação, o nascimento prematuro e em pior dos casos, a morte fetal. É também comum que o bebê nasça muito acima do peso, a chamada macrossomia. 

O bebê nascido de uma gestação diabética, apresenta grande possibilidade de desenvolver a doença na idade adulta e tende lidar com a obesidade. 

Tratamento Recomendado e dieta 

controle-do-diabetes-gestacional

O tratamento do diabetes gestacional pode ser feito sem nenhum problema através do uso de insulina. Diagnosticada, a doença deve ser controlada com dietas específicas para gestante. A alimentação correta garante melhor funcionamento metabólico. 

Durante a gravidez é necessário ganhar peso, sendo necessário um ganho médio de 400 gramas semanais, o que equivale a um consumo calórico de 35 calorias por quilo ao dia. Se estamos tratando de uma mulher obesa, o número de calorias por kilo, é 24. 

É recomendado fazer pelo menos seis refeições diárias e evitar jejuns muito extensos. A ajuda de um nutricionista será importante neste quesito, pois ele te ajudará a definir o cardápio de acordo com a necessidade de cada pessoa.  

A gestante deve fazer o controle diário com um medidor de glicose sanguínea, cujo paciente utiliza para acompanhar o nível glicêmico comparando com a média indicada. Quando os níveis são muito altos, é indispensável o tratamento com a insulina, mas apenas em pacientes em que as dietas não são suficientes para manter controlado o índice glicêmico. 

Como se prevenir? 

diagnóstico-diabetes-gestacional

Tendo em mente a gravidade da diabetes gestacional, os seus sintomas e os fatores de risco, aqui vão algumas dicas de prevenção. 

O controle do peso através de uma dieta balanceada ajuda a prevenir o diabetes durante a gravidez. Manter uma alimentação saudável ajuda a prevenir-se contra o surgimento de possíveis complicações. 

Outra dica interessante é fazer o planejamento da gravidez, considerando importante consultar um médico para orientar nos passos a fazer. Após exames e análises de cada perfil, o médico saberá as suas necessidades, riscos e possibilidades, podendo evitar riscos à saúde de mãe e bebê.